Acompanhamento Psicológico no processo de Maternagem - Ciclos - Espaço Terapêutico
Acompanhamento Psicológico no processo de Maternagem

A chegada de um bebê é um momento muito especial na vida de uma mulher. Independentemente se foi uma gestação super planejada, ou não, o fato universal é que o eixo gravitacional da vida desta mulher, deste casal, muda totalmente. Trata-se de um ciclo maravilhoso e ao mesmo tempo intenso de exigências e aprendizagens. Este texto - muito pontual e esclarecedor - da psicóloga Natália Delmonde, traz com a devida sensibilidade os fatores que podem causar sofrimento neste momento que esperamos ser apenas mágico. Importante este acolhimento e compreensão para que a chegada dos filhos seja cada vez mais consciente, sem desgastes por tantas vezes desnecessários.

Boa Leitura!
Daniela Favaro

O que é MATERNAGEM

Um processo que entendemos como um estabelecimento de vínculo entre mãe e filho.

MATERNIDADE é a possibilidade física de uma mulher ser mãe, a MATERNAGEM é o envolvimento emocional da díade mãe-filho, que não ocorre apenas por que a mulher engravida, mas sim pelo seu desejo de envolvimento e criação de vínculo e apego com o bebê. Para tanto, a disponibilidade afetiva, inicialmente da mãe (porque é ela quem estabelece esta relação a priori com o filho).

O desenvolvimento da MATERNAGEM depende da sua bagagem emocional:

Nossas experiências de vínculos anteriores, a relação com nossa própria mãe, pai, irmãos, amigos, companheiros e também a maneira como reelaboramos estas questões e como queremos vivenciá-las na nossa fase adulta resultam em nossa BAGAGEM EMOCIONAL. Há a parte consciente destas vivências e o que chamamos de estabelecimento de nossas SOMBRAS– a parte desconhecida da nossa psique, sendo uma tarefa pessoal lançar luz e consciência a esta nossa parte não conhecida e escura. Quanto mais inconscientes somos de nossas sombras, mais elas atuam em nossa vida em forma de mecanismos de defesa, dificuldades, reações que nossa dimensão racional não compreende.

O MUNDO FICA TÃO DIFERENTE!

A gravidez, o parto e o puerpério provocam muitas mudanças na mulher. Em tão pouco tempo, tantas mudanças físicas e hormonais – do ponto de vista da gestante, pensar que em 9 meses o bebê cresce, se desenvolve e após algumas horas (parto), ele já estará em contato com sua pele, com imensa mudança de rotinas e problemas que já existiam antes da sua chegada.

As mudanças envolvem também uma oscilação emocional, já permeadas por questões como ansiedade, medos e tristeza - próprias da reconfiguração da vida diária, do trabalho, questões domésticas, relação com o companheiro e a família. Com a chegada dos filhos, muitas mulheres passam por uma explosão desses sentimentos, trazendo à tona questões não elaboradas ou mal resolvidas dentro de nós, que em sua maioria nem sabíamos que estavam ali - nesse ponto é importante buscar um processo de autoconhecimento, que pode acontecer no processo psicoterapêutico. Para muitas mulheres os primeiros meses podem representar...

MEU MUNDO FICOU DE PERNAS PARA O AR!
E TUDO ISSO PODE GERAR CULPA... COMO SE NÃO ESTIVESSE FELIZ...
MAS NÃO É NADA DISSO!

Ter um bebê traz à tona muitos sentimentos e reações, que se iniciam na gravidez, mas ficam evidentes com a chegada da criança, por que é nesse momento que além da necessidade de apurar suas percepções para a criação de vínculo com o bebê; da nova rotina que está se instalando na vida dessa mulher e na casa; há um sofrimento genuíno entre a Maternagem Ideal e a Maternidade Real. Uma coisa é o que idealizamos e projetamos sobre a chegada desta criança, outro é o que de fato acontecerá, principalmente nos três primeiros meses – isso tudo gera sofrimento, confusões, dúvidas em muitos níveis, o que pode até configurar uma Depressão Pós- Parto (ver texto Depressão Pós-Partos: Mitos e Verdades).

A PSICOTERAPIA busca diante dessa mulher moderna, que necessita dar conta de uma série de coisas, mas que deixou de lado seus instintos e sua autorregulação à mercê de uma sociedade que a priva desse contato íntimo consigo mesma, o protagonismo feminino que ocorre do contato dessa mulher com sua própria essência, com o que toda mulher tem de mais primitivo e bonito dentro de si. Assim, O PSICOTERAPÊUTA transforma-se em interlocutor, quando há dificuldades de se fazer as perguntas e encontrar as respostas. O processo de psicoterapia ajudará a encontrá-las em si mesma e não em outras pessoas, a fim de buscar a sua imagem verdadeira e genuína nesta maternagem e maternidade consciente.

Assim, a importância dos Atendimentos Psicológicos dentro desse aspecto é trazer de volta esta mulher instintiva e que consegue tomar decisões, a fim de que não se torne vulnerável ao que é imposto pelas pessoas ao seu redor, principalmente nesse momento onde todas as pessoas têm algo a acrescentar ou uma opinião para dar, a mulher tem que se fortalecer para saber filtrar o que é válido para a vida que quer ter junto com seu filho.

Na CICLOS – Espaço Terapêutico, temos grupos de gestantes e de mães, que são rodas de conversas para tirar dúvidas básicas, trocar experiências e sentir-se acompanhada neste momento tão importante de sua vida. Entre em contato para saber dos horários.

Contato

Rua Lourenço Dias, 735, Centro, Araras/SP - CEP: 13600-180

(19) 3542-0444 / (19) 3542-0340 / (19) 99240-9377

ciclos_araras@hotmail.com

Ciclos no Facebook