Por que as pessoas gritam? - Ciclos - Espaço Terapêutico
Por que as pessoas gritam?

Autor: Mahatma Gandhi

Esta história foi contada na CICLOS por Alexandre Rampin. Nesta breve descrição, somos convidados a refletir sobre a base do relacionamento humano: o Diálogo.

Lembramos que a comunicação não se resume em palavras, mas em entonação, postura corporal, expressão facial e todo o conjunto que expressa a intenção e o direcionamento da linguagem passada.

Por que será que as pessoas gritam?

Boa Leitura!
Daniela Favaro

Um dia, um pensador indiano fez a seguinte pergunta a seus discípulos:
- Por que as pessoas gritam quando estão aborrecidas?
- Gritamos porque perdemos a calma - disse um deles.

O mestre refletiu por um momento e pontuou:
- Mas por que gritar quando a outra pessoa está ao seu lado?

Os discípulos se olharam e um respondeu prontamente:
- Bem, gritamos porque desejamos que a outra pessoa nos ouça.

E o mestre voltou a perguntar:
- Então não é possível falar-lhe em voz baixa?

Várias outras respostas surgiram, mas nenhuma convenceu o pensador. Então ele esclareceu:
- Quando duas pessoas estão aborrecidas, seus corações se afastam muito. Para cobrir esta distância precisam gritar para poderem escutar-se mutuamente. Quanto mais aborrecidas estiverem, mais forte terão que gritar para ouvir um ao outro, através da grande distância. Então gritamos quando nossos corações estão distantes.

O silêncio invadiu aquele espaço enquanto todos refletiam. Após o tempo suficiente, que os mestres bem conhecem, o pensador continuou:

- Por outro lado, o que sucede quando duas pessoas estão enamoradas? Elas não gritam. Falam suavemente. E por quê? Porque seus corações estão muito próximos. A distância entre elas é pequena. Às vezes nem falam, somente sussurram - pois a distância chega a desaparecer ou fundir-se em afetividade, cumplicidade. E quando o amor é mais intenso, não necessitam sequer sussurrar, apenas se olham, e basta. Seus corações se entendem. É isso que acontece quando duas pessoas que se amam estão próximas.

Por fim, o pensador concluiu, dizendo:
- Quando vocês discutirem, não deixem que seus corações se afastem, não digam palavras que os distanciem mais, pois chegará um dia em que a distância será tanta que não mais encontrarão o caminho de volta.

Contato

Rua Lourenço Dias, 735, Centro, Araras/SP - CEP: 13600-180

(19) 3542-0444 / (19) 3542-0340 / (19) 99240-9377

ciclos_araras@hotmail.com

Ciclos no Facebook